Ford Gran Torino: O carro astro dos anos 70

Para empresas automotivas, um de seus modelos aparecerem em destaque numa série de TV ou filme é um grande negócio. Na década de 1970, a Ford possuía um programa de empréstimo de carros para estúdios de TV. Em meados dessa década, os produtores de Spelling-Goldberg Productions, trabalhando no piloto de um novo seriado de ação foram à Ford ver os modelos disponíveis e acabaram escolhendo dois 351 Gran Torinos de duas portas, um para os heróis e outro para ser dirigido por outra pessoa, de modo a ser confundido com o automóvel dos heróis pelos vilões. O piloto transformou-se em uma série cuja influência foi muito além dos quatro anos em que esteve no ar: Starsky & Hutch.

O GT era o carro de Starsky, apesa de o ator Paul Michael Glaser não ter gostado do veículo ao vê-lo e ter odiado dirigi-lo. Ele Achou o carro feio, dizendo que parecia um “tomate listrado” e, com certa razão, que nenhum agente secreto usaria algo tão chamativo. Mesmo assim, o automóvel foi utilizado.

E não foram apenas 15 minutos de fama. O Gran Torino também teve papel de destaque em um dos maiores filme Cult de todos os tempos: O Grande Lebowski, de 1988. Jeff Bridges fazia o papel de Dude nessa comédia idiossincrática típica dos irmãos Cohen, e seu carro era um Gran Torino – o que não estava nos planos. Segundo o roteiro original, era para ser um Chysler LeBaron, mas na hora de filmar, o Goodman, não entrou no Chysler, e os diretores tiveram que substituí-lo por um automóvel mais espaçoso.

Uma década depois, um modelo novo em folha estrelou o filme Gran Torino, de 2008, como o carro de Clint Eastwood, um obstinado veterano da Guerra da Coréia. Assista ao trailer abaixo.

1973 – 5.766 cc, V8 – 161 cv – 0 a 97 km/h em 10,8 segundos – 178 km/h

Super Interessante Também