Jeep Cherokee – O visual convence?

As entradas de ar verticais já não são novidades no modelos da Jeep. O que vem dividindo os fãs na marca e do modelo, é justamente o conjunto ótico. Diferente dos modelos anteriores o CHerokee agora apresenta três pequeno conjuntos divididos pela carroceria, tirando um pouco da sua antiga identidade.

Começando pelo de cima, onde normalmente ficam os faróis, agora acomodam as setas ou pisca-pisca. O do meio é o farol e possui luzes de duplo xenônio. O de baixo, bem escondido na parte de plástico é o farol de neblina. O resultado é ousado e difícil de dizer se o estilo vai pegar.

Tirando a estética, o restante é tudo de bom! Ele manteve a aptidão para encarar qualquer terreno, mas ganhou muitos itens de conforto e conveniência, focados para conquistar um público mais amplo.

Por enquanto só temos por aqui a versão Limited, que é versão intermediária do veículo, comercializada pelo preço de R$ 174.900, e talvez a próxima a chegar seja a Longitude, de entrada, que sairá por cerca de R$ 159.900.

Para completar a família a topo de linha, versão batizada de Trailhawk, deve chegar antes do final do ano, comercializada por R$ 189.900, sendo esta a versão mais aventureira das versões. O volume anual estimado de importação do modelo que virá dos EUA é de 1200 unidades.

A versão Trailhawk, foi a única das três versões a conseguir o selo “trail rated”, que só recebido por poucos carros que conseguem fazer as difíceis trilhas de Utah, EUA. Daí veio o motivo para o carro chegar para nós com o lema “Vá a qualquer lugar, faça qualquer coisa”.

Todas as versões possuem 4×4, mas apenas a versão topo de linha vem com o Active Drive Lock, que tem tração integral, reduzida e bloqueio do diferencial traseiro. As versões Limited e Longitude funcionam a maior parte do tempo na 4×2, pois o sistema Active Drive I, no modo “on Road”, mantém a tração somente na dianteira.

Quanto ao motor é o mesmo para as três versões. Bloco Pentastar 3.2 V6 de 271 cv e 32,1 kgfm de torque. O câmbio é automático de nove marchas, que concedeu ao veículo uma média de 9,4 km/l na estrada.

Entre a extensa lista de equipamentos podemos destacar o assistente de partida em rampas, controles de tração, de estabilidade e de rolagem da carroceria, lanternas traseiras de LED e câmera de ré. Por dentro temos ainda um sistema multimídia com tela de 8,4 polegadas, caixa de primeiros socorros embaixo do banco do motorista, bancos com aquecimento e ventilação, ar-condicionado de duas zonas com memória, bancos e volante de couro e quadro de instrumentos em tela de cinco 5 polegadas.

Super Interessante Também